segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

2U

foto residente no site:letempsdescerises.no.sapo.pt


Chegaste com a força e a limpidez de uma cascata e desaguaste-me nos braços (afinal os deuses sabiam da minha sede de emoções puras e transparentes).

Digo sim, quero beber o brilho do teu sol e abraçar contra o peito a nudez da tua alma.

Não há sombras nem graus de cinzento. À tua volta apenas claridade e eu mergulho nela. Vou ao fundo de ti e ao fundo de mim e não tenho medo. Eu , que nem sei nadar, deixo-me ir, flutuo, sinto-me leve. Não me puxas nem me empurras, embalas-me e eu gosto.

Já te disse como é bom morar no teu peito? É um lugar muito acolhedor. Tem janelas largas por onde a luz entra sem parar. Não há corredores nem labirintos. É um espaço amplo, luminoso e fresco.
E eu esqueço-me do tempo no teu abraço...

Não sei onde vamos mas vou. Descobrirei contigo o caminho a cada passo. Talvez o mar!...

Nesta caminhada não há drama, nem tragédia, ninguém se desfaz em pedaços. Há a minha e a tua alma, o som de um sentimento, e as cores e a dança de estarmos vivos.

E eu esqueço-me do tempo no teu abraço...

5 comentários:

antonio disse...

Já o disse, existem homens assim, imensos e tranquilos como o mar.

Mas de vez em quando precisamos de umas emoções de que de puras e transparentes não tenham nada... ;)

Pink&Blue disse...

Olá António,

este texto é mesmo, apenas, sobre a transparência das emoções. Fala da exposição das emoções sem medo ou vergonha e também fala, implicitamente, de não se usarem as emoções para manipular o outro. Nada disto exclui emoções fortes. Se elas existirem, sendo assim postas a nú, serão sentidas ainda com maior intensidade.

Manuel Rocha disse...

Hummmm....

Há Cupido ao largo....:::))))

Pink&Blue disse...

Manuel,
Com ou sem Cupido, não tenho qualquer dificuldade em escrever textos como este.
Ele encerra em si uma mensagem para todos os homens:
“Não tenham medo ou vergonha das vossas emoções. Nós mulheres não vos respeitaremos ou amaremos mais se o fizerem, antes pelo contrário”
É hora de acabar com estigmas do tipo: “homem não chora”, “homem não tem medo”, “homem não tem hesitações”, “homem que mostra sensibilidade ou vulnerabilidade é maricas”
Estamos todos fartos destas tretas pré-históricas.
Hoje em dia fala-se muito do Yin/Yang, que não é mais do que a polaridade masculino/feminino que existe em cada um de nós.
Quem nega uma delas está a Ser pela metade. As mulheres têm vindo a assumir e evidenciar o seu lado masculino, é hora de os homens fazerem o mesmo pelo seu lado feminino sem medo ou culpa.
Não mintam a vocês próprios, não fujam do que sentem, sejam abertos, receptivos e verdadeiros.
Isto não significa passar de um extremo ao outro mas antes balancear os dois lados, o Yin e o Yang.

Um abraço
Pink

Anônimo disse...

nice!!!
nuno mendes
joka