terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Ano Novo, Mundo Novo...


Acordei e estava em 2013. Ainda de ressaca, percebi que me despia do passado como se de uma roupa usada, gasta e suada se tratasse. Não fiquei nua (ainda). Esta roupa velha, corresponde não apenas ao ano que passou, mas a décadas de uma vida saturada e bolorenta. Por isso está grudada em mim e não cairá da noite para o dia. É um processo. Estou a despedir-me não só de um ano, de uma época mas sobretudo de um velho-EU para dar à luz o meu Eu mais puro e cristalino.

O mundo não acabou em 2012, deitando por terra as profecias do "Juízo Final" mas sinto que algo muito viscoso e peçonhento está a morrer, ainda que lentamente, abrindo espaço para o novo, fresco e arejado.

É um tempo de mudanças, metamorfoses e renascimentos. É um tempo de transição entre o velho e o novo, dentro e fora de nós.

Conheço bem o que está em gestação mas apenas em teoria. Esta roupa suja e opaca ainda nos oculta a visão do que está para vir à luz. 

De vez em quando temos pequenos vislumbres desse Mundo Novo e Homem Novo. São eles que nos impelem a continuar e a passar pelo processo de arrancar a velha pele, por mais doloroso que ele seja. 

Ainda assim, tenho fé! Acredito que 2013 será o começo de algo maravilhoso e desejo que o seja. Para mim, para o mundo e para todos os seres deste planeta.

Tenhamos TODOS a coragem de romper os limites impostos por uma vida de ilusões, enganos e armadilhas. 

Para lá das cercas de arame farpado em que nos prendemos, há campos floridos a perder de vista e cascatas de água cristalina que vale a pena descobrir e desfrutar.

Sem medo e com o espírito certo, podemos construir o que quisermos.

Feliz Ano Novo! Feliz Mundo Novo!

Um comentário:

leprechaun disse...

Aqui vai algo que aponta nessa direção, uma autêntica socioeconómica transformação!

Zeitgeist: Moving Forward

Este é o filme independente mais visto na história do cinema não comercial, com quase 20 milhões de visionamentos no YouTube!

Never doubt that a small group of thoughtful, committed citizens can change the world. Indeed, it is the only thing that ever has. - Margaret Mead